sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Educação e seus poréns brasileiros.

Gostaria de começar sugerindo uma pergunta, " Realmente à educação é para TODOS? ". Será que questionar essa afirmação, que é dita por tantos políticos é perigoso? Será que pensar no que é dito e no que é feito pela educação é proibido? Isso me instiga, me deixa curiosa e preocupada com as possíveis conclusões. O que posso esperar de um país que comemora o carnaval como se fosse uma festa santa, o que posso esperar de um país que faz milagres nas obras para a copa das Confederações e para a copa do Mundo, o que posso esperar de um país, que políticos preocupam-se mais com a construção de Aquário do que a construção de novos hospitais públicos. O brasileiro diverte-se priorizando a futilidade e esquecendo o útil, para eles a festa da virada de ano novo, é lindo, é espetacular, é mais um ano chegando. Na verdade, a festa da virada de ano novo, é lindo, é rica, é turística, é desvio de verbas, é hipocrisia, é a confirmação de mais uma ano que se passou e nada foi feito para a melhora na educação pública. Será que é tão difícil de compreender, de enxergar que nosso país,   está se maquiando com o comércio, com o turismo e está escondendo a verdade brasileira atrás dos prédios, de baixo dos viadutos. A educação deveria ser a base de qualquer ser humano, tanto rico, pobre, negro, branco, gordo, magro, feio ou bonito. Falar sobre educação nunca deu audiência não é verdade? É mais preferível, assistir um show de humor, comprar uma playboy, ir ao baile funk, sair pra beber. Diversão é bom, e deve existir, mas o problema é a inversão das prioridades que estão acontecendo nesse país, um país de praia, de serras, de florestas, de cultura, de artes, um país tão belo e vem se tornando tão feio, está ficando pobre, pobre de educação pública, pobre de saúde pública, pobre de segurança pública, por que tudo é público, tudo que do seu direito é tão desvalorizado? Volto a repetir, está acontecendo uma inversão de valores, de prioridades, de ideais, de ética, de moral. Aonde será que vai parar este país, porque ele já esta cansado, está parando e eu não quero morrer em um país que tinha tudo pra ser exemplo, ser guerreiro e morreu sem lutar. Que país é esse. ♫

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Mesmo que todos

sejam contrários à mim, não me entendam ou me critiquem, não deixarei de tentar construir e realizar meus sonhos, minhas vontades. Pedras podem causar certo desmoronamento na minha estrutura, mas eu tenho armas pra recomeçar, sempre. 

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Como Escapar com Estilo. (:

Conseguir

Preciso de forças ocultas, forças que não encontro em mim, preciso muito disso. Eu tenho raiva de mim quando volto pra mesmo erro,que droga ! eu sei que errei, sei que preciso não cometer de novo esse erro, mas sou fraca ou talvez burra e volto a fazer aquele erro que me destrói por dentro. Preciso conseguir, preciso muito conseguir, vencer as tentações, essa maldita força que me leva pro caminho errado. Não prometo mais, não falo mais nada, agora vou fazer, vou agir sem medo, vou dá minha cara a tapa e vou conseguir, vou vencer.

domingo, 6 de novembro de 2011

Minha Fé, sem rótulos.

Religião, quem é capaz de me confirmar a correta?Qual delas está mais próxima de Deus,católica,evangélica,espírita? quem aqui na Terra tem essa autoridade,tem essa certeza?Deus não deixou nada escrito dizendo que a sua religião é melhor que a minha.Não sou obrigada a seguir teus passos porque você diz que é o melhor,minha verdade,meus acertos depende de mim,Deus me deu o livro arbítrio,e a capacidade de entender que os ensinamentos dele,não estão em um livro e sim no decorrer de meus dias.Agradeço à Deus pela minha vida,sou feliz por tê-la,fui abençoada em nascer.Tenho minha própria maneira de estar próxima à ela,tenho meu jeito de agradecer,tenho minha visão sobre meu pai.Então não vou rotular esse amor,não vou rotular minha fé,não vou rotular a MINHA vida!

quarta-feira, 2 de novembro de 2011



Se inspire naquilo que te faz feliz,naqueles sorrisos bobos,nos abraços soltos.